• Victória Marchi

GOLPE DO BOLETO FALSO: Empresas condenadas solidariamente por violação de dados




Instituição financeira e plano de saúde são condenadas solidariamente por vazamento de dados de consumidora.


A consumidora recebeu em seu e-mail, como de costume, boleto fraudado idêntico ao que recebia mensalmente de seu plano de saúde. Todas as informações eram idênticas, a não ser por um pequeno detalhe, o destinatário recebedor.


A Sentença, proferida pelo juiz do 4º Juizado Especial Civel - Dr. Murilo Vieira de Faria, destaca o grau de vazamento de dados pessoais, que somente os réus teriam acesso, como nome completo, CPF, endereço e até mesmo o plano especifico da consumidora.


O magistrado entendeu que houve falha na prestação dos serviços tanto pelo plano de saúde, quanto pela instituição financeira, responsável pela emissão do boleto falso.


Além de ressarcir a consumidora que foi vitima do Golpe, as empresas foram condenadas a indenizar a autora em R$ 10.000,00 (dez mil reais) a título de indenização por danos morais.

1 visualização0 comentário